10 de fev de 2017

Ornamentação litúrgica e mensagem visual

A ornamentação litúrgica está inserida no processo comunicativo litúrgico no contexto da mensagem visual. Enquanto tal, a arte lida com a arte de apresentar uma mensagem que seja atraente ou provocadora aos olhos com a finalidade de criar uma reação em quem a vê. A ornamentação litúrgica, em linhas breves, tem a finalidade de propor uma mensagem visual bela ou provocadora para cativar e para refletir. Não permanece, portanto, no esteticismo, embora prima por uma boa estética, mas ingressa no processo comunicativo da comunicação visual. Diante disto, o ministro da ornamentação deverá ter presente alguns elementos importantes e necessários para bem se comunicar no contexto da arte visual.        

Um primeiro elemento diz respeito a conceitos comunicativos da Liturgia, entre os quais ter presente que a celebração litúrgica não é um discurso, mas um percurso espiritual e místico iluminado pela Palavra de Deus própria de cada celebração. Neste sentido, a ornamentação litúrgica assume o papel de mensagem comunicante que favorece o percurso espiritual e místico realizado no percurso celebrativo. É a luz da Palavra, portanto, que acende a primeira inspiração de como fazer e propor uma mensagem visual, se através de um arranjo floral, se por meio de um símbolo contextual, se com um painel mais uma frase celebrativa, se a composição contará com vários elementos...
Outro elemento é compreender também que a Liturgia não é explicação, mas  experiência de encontro com Deus, numa celebração sacramental. Não se participa de uma celebração litúrgica para se falar de Deus, mas para se encontrar com Deus. E, para tal finalidade existe uma confluência de vários processos comunicativos — oral, gestual, musical, ornamental... — para facilitar e fazer com que tal experiência atinja a vida do modo mais profundo possível.
Estes dois elementos (mas existem muitos outros) servem para abrirmos nossa conversa quanto a compreensão da atividade do ministério da ornamentação, na Liturgia, como um processo comunicativo a serviço da celebração litúrgica em vista da participação plena e consciente dos celebrantes. Um serviço a ser realizado com humildade e em espírito de colaboração tendo em vista o favorecimento da comunicação litúrgica de cada celebração.
Serginho Valle 
2017 


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Participe. Deixe seu comentário aqui.